PET SERVIÇO SOCIAL
  • Procura-se petianos(as) egressos(as)

    Publicado em 26/02/2021 às 17:21

    Tendo em vista a comemoração dos nossos 30 anos, que será celebrado em 2022, o PET Serviço Social da UFSC está buscando resgatar os petianos(as) egressos(as), desde 1992 quando o Grupo PET SSO foi criado pela profa. Catarina Maria Schmikler, assim como petianos e petianas da época da profa. Vera Maria Nogueira, profa. Maria Del Carmen Cortizo, profa. Vania Maria Manfroi e profa. Simone Sobral Sampaio.
    Se você foi petiano(a) do Grupo, solicitamos que nos procure e mande seu nome e, se tiver, fotos, documentos ou nos conte histórias de como era!
    Ainda, se você conhece pessoas que participaram do PET|SSO, pedimos que nos mande o nome e/ou contato ou repasse essa nota.
    Encontre o PET|SSO da UFSC no Instagram @petssoufsc ou pelo e-mail pet.servicosocial@contato.ufsc.br !

     


  • Racismo Institucional e a Vivência dos estudantes negros na Universidade

    Publicado em 26/02/2021 às 13:24

    O PET da Geografia da UDESC, convida a Petiana do Serviço Social da UFSC, Joyce Santos, para uma conversa sobre Racismo Institucional e a Vivência dos estudantes negros na Universidade.
    Quando? 26 de fevereiro às 18 horas.
    Onde? https://m.youtube.com/watch?v=7Kd8cgt6JGA&feature=youtu.be

    Informações aqui

    Vamos!


  • Anais do II Seminário

    Publicado em 11/02/2021 às 11:25

    ➡️ O PET|SSO UFSC tem a alegria de lançar os Anais do II Seminário de Integração do Curso de Serviço Social, realizado em 2020!
    🏆 Com o lançamento deste segundo volume, conquistamos o ISSN da publicação, que tem efeito retroativo para os Anais do I Seminário, realizado em 2019.
    📚 Acesse os dois volumes dos Anais no site do PET|SSO https://petservicosocial.ufsc.br/anais/


  • Relatório da Pesquisa “Mulheres, água e energia não são mercadorias”

    Publicado em 04/02/2021 às 14:13

    A pesquisa “Mulheres, água e energia não são mercadorias”: a perspectiva feminina da violação de direitos dos atingidos pela UHE de São Roque (2018-2020), desenvolvida pela petiana Ana Cecília de Araújo Teixeira e pelas egressas Érica Fernanda dos Santos e  Laíne Motter Oliveira, teve como objetivo abordar a questão da violação de direitos das populações atingidas por barragens, focando na população atingida pela UHE de São Roque e partindo da perspectiva que nos foi passada pelas mulheres dessa população.

    Para tanto, é feita uma retomada do sistema hidrelétrico brasileiro e uma análise sobre suas problemáticas, sendo ressaltada a importância do movimento social brasileiro voltado às populações atingidas, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), e da sua luta tanto por direitos como por uma política de reconhecimento dessas populações atingidas.

    Considerando a dimensão da discussão apresentada pelo Coletivo de Mulheres Atingidas pela UHE de São Roque, pode-se dizer que os resultados aqui apresentados, referem-se apenas ao marco inicial dessa organização, que já vem demonstrando avanços significativos na localidade, tanto no referente a microestrutura local, como em face ao enfrentamento dos métodos desumanos empregados pela empresa responsável pelo empreendimento, tendo em vista que a participação das mulheres atingidas como indivíduos sociais e políticos, na luta e defesa dos territórios é desqualificada sumariamente, e que a organização coletiva demonstra importantes progressos face ao confronto e violações de direitos das populações atingidas por barragens.

    Acesse aqui o Relatório


  • Os periódicos na área de Serviço Social

    Publicado em 18/12/2020 às 09:15

    Por: Márcio dos Santos Siqueira

    Fui convidado a participar do lançamento do periódico Resistência Litoral do curso de Serviço Social da UFPR – Setor Litoral. Este convite surgiu após a realização de um minicurso na SEPEX em Casa, de 2020, o qual abordei o seguinte tema “Compreendendo o fluxo editorial de uma revista científica”. Fato que nos enche de orgulho por articularmos o tripé universitário, isto é, o ensino, pesquisa e a extensão.

    Para o lançamento desta revista fui convidado a abordar e desenvolver o seguinte tema “Os periódicos na área de Serviço Social”, a partir da minha experiência enquanto bolsista de extensão em um periódico científico de grande representação nacional e internacional, a Revista Katálysis, assim como, a minha inserção no Programa de Educação Tutorial (PET|SSO) da UFSC diante da idealização de uma revista científica a nível de graduação, isto é, a Revista Pindorama: Serviço Social em Destaque.

    Diante do tema, abordei as seguintes questões: os desafios para as revistas que estão começando; maiores dificuldades na organização e fluxos editoriais de uma revista; como funciona um projeto de extensão no interior de uma revista; qual a situação de periódico de área do serviço social; quais os critérios para a avaliação pela área 32 para pontuação na Qualis. Temas que demonstram o quão necessário é a produção e a socialização do conhecimento em serviço social, dado que, somos uma profissão e campo de conhecimento.

    Portanto, o convite se expressou uma grande oportunidade de articulação dos conhecimentos produzidos através das pesquisas e projetos desenvolvidos pelo PET|SSO assim como a sua socialização e divulgação da sua revista científica. Agradecemos imensamente a equipe organizadora do evento e a equipe editorial deste novo periódico científico na área de serviço social.

    Clique para assistir

     


  • Erramos… mas já arrumamos!

    Publicado em 08/12/2020 às 13:22

    Após o lançamento do Jornal do Pet Serviço Social n.7, ocorrido ontem, identificamos que em um dos artigos não foi devidamente referenciado o texto que foi utilizado como inspiração para estruturar o encadeado das ideias expostas. Após análise dos dois textos e das orientações antiplágio e de boas práticas em pesquisa da Biblioteca Universitária (BU) da UFSC, refletimos que para não se configurar como plágio direto, indireto, paráfrase ou autoplágio, foi necessário ratificar o artigo, citando devidamente a fonte!

    Assim, foi inserida na página 17 a citação da fonte e a seguinte referência:

    SANTOS, Joyce. WILLWOCK, Gisela Julia Moraes. PET Convida. Jornal do Pet Serviço Social. nº 06, outubro, 2020, p.1. Disponível em <https://petservicosocial.ufsc.br/files/2020/11/Jornal-do-PET-Servi%C3%A7o-Social-N.6-Outubro_2020.pdf>. Acesso em 04 dez.2020.

    Agora nós aprendemos! Não erre você também nos seus textos acadêmicos e profissionais! Revise seus escritos e sempre cite a fonte das informações e ideias que você está utilizando! E se errar, arrume!!!

    Para saber mais, leia as orientações da BU/UFSC neste link: https://testenovositebu.paginas.ufsc.br/files/2013/10/Orienta%C3%A7%C3%B5es-antipl%C3%A1gio-e-boas-pr%C3%A1ticas-em-pesquisa.pdf

    Confira a versão ratificada do Jornal do PET Serviço Social n.7 neste link https://petservicosocial.ufsc.br/files/2020/12/Jornal-do-PET-Servi%C3%A7o-Social-N.7-dezembro-2020-1.pdf


  • Confira o jornal do PET|SSO nº7!

    Publicado em 04/12/2020 às 17:16

    Saindo do forno, fresquinho e com novidades: agora o jornal possui coluna dos núcleos de pesquisa do curso e mural dos estudantes!

    Essa edição conta com relatos de como está sendo a rotina dos docentes na pandemia; colunas que abordam a atuação de Assistentes Sociais na área da Educação; relato de pesquisa sobre Gênero, Raça e Etnia; sobre o que rolou no PET nesse último bimestre e também apresentamos a vocês nossas novas petianas!

    Clique na imagem para baixar!

    Aqui leia os números anteriores e veja como mandar seus textos para publicação!


  • O que teve no PET Convida?

    Publicado em 04/12/2020 às 16:03

    No dia 30 de outubro de 2020, dando continuidade às atividades do PET Convida em formato online, a comissão organizadora efetivou um bate-papo, às 19h30, sobre a conjuntura dos direitos reprodutivos no Brasil, através da plataforma Google Meet, com a participação e condução de Luísa Bohnenberger. A profissional Assistente Social, além de Residente Multiprofissional no Hospital Universitário da UFSC, é membro do Fórum Catarinense em Defesa do SUS e Contra as Privatizações. No evento em alusão ao Outubro Rosa, focando na conversa acerca de gênero, principalmente nas mulheres, tivemos como mediadora a petiana Ana Cecília de Araújo Teixeira. A convidada Luísa indicou uma lista de materiais para leitura para que os/as interessados/as consigam se aprofundar no assunto. Através do link https://docs.google.com/document/d/1pPgZyNvY7_EG9Qcm-P9ZrMAe0DuhO9k-Bp4b54GXxKc/edit  você encontra os materiais. A comissão PET Convida, composta por Gisela Júlia Moraes Willwock, Joyce Santos e Mariene Rocha da Silva, sob a tutoria da professora Mariana Pfeifer, agradece a intensa participação de todos e todas presentes, alunos(as) e egressos(as), entendendo que é com tais espaços plurais, mesclando estudantes e profissionais, assuntos de interesse coletivo e acadêmico, que se fortalece o tripé ensino, pesquisa e extensão, que rege o Programa de Educação Tutorial.

    Na última edição do PET Convida do segundo semestre de 2020, ocorrida em 27 de novembro, às 19h30, também via Google Meet, abordamos um assunto muito necessário e urgente: os territórios negros em Florianópolis. Para a roda de conversa convidamos Azânia Mahin Romão Nogueira, professora de Geografia, militante do Núcleo de Estudos Negros e da Frente da Juventude Negra Anticapitalista de Floripa. A participante contribuiu com pontuações e até curiosidades muito interessantes quanto a divisão dos territórios em Florianópolis e a situação em que se encontram, especificamente, os chamados territórios negros. Achamos válido compartilhar tanto a dissertação de Azânia (http://tede.ufsc.br/teses/PGCN0690-D.pdf) quanto o perfil das redes sociais do Quilombo Vidal Martins (https://www.instagram.com/arqvima/?igshid=18bqqxbr6wjlk), citado na abordagem da mesma, materiais que auxiliam na elucidação dos estudos daqueles/as interessados/as pelo assunto trazido. A mediação do debate foi de responsabilidade da petiana Joyce Santos, com a mesma comissão organizadora, acrescida com a nova petiana Beatriz Antunes, que demonstrou interesse em participar da comissão PET Convida, a qual damos boas vindas!

    Por: Gisela Julia Moraes Willwock, Joyce Santos, Beatriz Antunes da Rosa e Mariene Rocha da Silva


  • Conheça o PET|SSO

    Publicado em 26/11/2020 às 18:26

    Criamos uma cartilha para apresentar um pouquinho do nosso Grupo!

    Veja aqui!


  • VIVA ZUMBI! VIVA DANDARA!

    Publicado em 20/11/2020 às 09:20

    Você sabe quem foi Zumbi dos Palmares? Já ouviu falar sobre Dandara? Sabe o que esses nomes tem a ver com o 20 de novembro? Então vamos conversar!

    Zumbi e Dandara dos Palmares fazem parte dos nomes mais importantes da história do país. Talvez você não conheça esses nomes devido ao racismo estrutural tão presente na sociedade brasileira! Mas hoje, por meio desse post queremos brevemente apresenta-los a você.  Zumbi e Dandara foram fundadores e guerreiros de um dos principais Quilombos do país, o Quilombo dos Palmares. Filho de Sabina e esposo de Dandara, Zumbi dos Palmares nasceu livre no estado de Alagoas, em 1655, e juntamente com outros líderes, fez forte resistência a escravidão.

    Zumbi foi morto após ter seu esconderijo denunciado, no dia 20 de novembro de 1695. Dandara, além de esposa de Zumbi, com quem teve três filhos, foi uma das lideranças femininas negras que lutou contra o sistema escravocrata do século XVII. Poderíamos passar muito tempo contando para vocês a importância que Zumbi e Dandara tem para o legado histórico dos negros Brasil.

    A data 20 de novembro, conhecida como o dia da Morte de Zumbi, foi a data escolhida para o dia Consciência Negra que, inclusive, foi incluído no calendário escolar nacional em 2003 e, em 2011, instituído oficialmente pela Lei Federal nº 12.519. Infelizmente, o dia 20 não é um feriado nacional, ficando a critério de cada estado optar por considerar a data como feriado ou não. No entanto, a data segue sendo extremante importante para a luta negra.

    O exemplo de resistência de Zumbi e Dandara não podem ser apagados da história!

    VIVA ZUMBI! VIVA DANDARA!

    Por: Joyce Santos e Ana Cecíia de Araújo Teixeira